06/01/2014

CONHEÇA OS DESENHOS DE ENIKÕ SZABÓ




Enikő Szabó é uma artista nascida na Hungria de 26 anos, que além de desenhista, também é formada em arquitetura.
Seus desenhos são feitos com lápis e muitos deles estão em exposição na Galeria Deviantart.
 

Conheça algumas de suas obras:


























conheça nossa página no Facebook

NEM TODO MUNDO ODEIA O CHRIS !



Por onde anda o elenco de Todo Mundo Odeia o Chris!










Você acompanhou os atores da série depois do seu término, em 2009? Veja !






Everybody Hates Chris (Todo Mundo Odeia o Chris) nos Estados Unidos foi uma sitcom exibida entre Setembro de 2005 e Maio de 2009 pela emissora de televisão CW TV A série ainda é exibida pela emissora de televisão Brasileira Record.


O enredo da série foi baseado na infância e adolescência de Chris Rock, comediante e ator americano, criador, produtor, narrador e ator da série. A série foi cancelada em Maio de 2009, quando Chris Rock quis fazer uma temporada focada no início de sua carreira humorística, e na morte de seu pai, Julius, em 1988.


Seu título é uma referência ao título de outra série de sucesso que acabou no ano em que esta estreou,Everybody Loves Raymond


No início dos anos 80, Chris é um garoto negro que vive com sua família no distrito do Brooklin em Nova Iorque e sua mãe consegue uma vaga em uma escola longe de seu bairro onde Chris (Tyler James Williams) é o único garoto negro.

Mãe - Rochelle (Tichina Arnold)
Pai - Julius (Terry Crews)
Irmão - Drew (Tequan Richmond)
Irmã caçula - Tonya (Imani Hakim)
Melhor amigo - Greg (Vincent Martella) um garoto branco
Namorada - Tasha (Paige Hurd) vizinha pela qual Chris é apaixonado e namora por algum tempo)
Inimigo - Caruso (Travis T. Flory) (garoto ruivo que não perde a oportunidade de bater no Chris)




Tyler James Williams ficou conhecido vivendo o Chris, de Todo Mundo Odeia o Chris, papel que ele conseguiu aos 13 anos de idade. Agora, aos 21 anos, o ator continua atuando, tendo como seu trabalho mais recente a série já cancelada Go On, além do filme Peeples




Terry Crews era Julius, o pai de Chris que trabalhava duro para manter a família. Agora, no entanto, o ator pode manter apenas um trabalho, como o sargento Terry Jeffords da novata Brooklyn Nine-Nine.



Tichina Arnold era a inesquecível mãe de Chris, Rochelle, que vivia se gabando dos dois empregos do marido. Depois de uma participação em Raising Hope e de entrar para o elenco da cancelada Happily Divorced ela fez duas participações em Let's Stay Together.






O filho mais velho da família era Drew, que não era exatamente o orgulho dos pais. Pois seu intérprete, Tequan Richmond, com certeza impressionaria com sua atuação em General Hospital



Imani Hakim era Tonya, a irmã de Chris que vivia tentando tirar vantagem dos irmãos. Atualmente, a atriz deixou de lado a atuação e tem poucos créditos em seu nome, sendo que o último é no especial para a televisão "Flip the Script Kids Reality Special".







Vincent Martella era Greg, o melhor amigo de Chris que se envolvia em uma série de confusões por os dois serem de etnias diferentes.. Atualmente você não o vê com frequência, mas o escuta bastante: é ele quem dá voz à Phineas no desenho Phineas e Ferb




Hoje com 22 anos, Paige Hurd fez par com Justin Bieber no clipe Never let you go e também fez o clipe da cantora teen de R&B Jasmine Villegas - I Own This






Enquanto Greg era amigo, Caruso era o inimigo e, porque não dizer, rival de Chris. O personagem de Travis T. Flory ficou marcado e o ator fez poucos trabalhos após o fim da série, sendo que um dos principais foi uma participação em Melissa & Joey.




visite nossa página no Facebook





Teatro: A vida Sexual da Mulher Feia


A vida Sexual da Mulher Feia

Peça é baseada no best-seeler de Claudia Tajes



No solo A Vida Sexual da Mulher Feia, Otávio Müller dá vida à Maricleide, que goza de uma autocrítica impagável e não perde tempo em se indispor à ditadura da beleza. Baseado no best-seller homônimo de Claudia Tajes, o espetáculo não deixa nenhuma mulher ou homem imune à insegurança da personagem. Afinal, quanto mais se olha no espelho, mais imperfeições aparecem.


Com a crueza de um consultório de terapeuta, é possível acompanhar suas aventuras amorosas, primeiro beijo e primeira transa. Em seu livro, Claudia criou uma protagonista sem rosto, não esmiuçou descrições físicas, não impôs uma caracterização isolada. Esse recurso facilita a identificação ampla e abrangente do público. Embarcando no sucesso do livro, o espetáculo agrada a todos – homens e mulheres, feios ou não. Afinal, todo homem já se sentiu o próprio Shrek algum dia e até a princesa mais linda já teve o seu dia de Fiona. Quem nunca esteve acima do peso? Quem nunca se viu apavorado ao constatar os estragos feitos pelos hormônios da adolescência?

Ao acompanhar os relatos hilários do diário amoroso da personagem, a identificação é inevitável, o que faz com que a história se torne ainda mais engraçada. Afinal, tem coisa melhor do que rir de nós mesmos? Não se trata da risada sádica, que segrega as formosas das horríveis e aponta o dedo para torturar, e sim da risada generosa e solidária, imbuída da reflexão e do combate aos condicionamentos. No fim das contas, Maricleide descobrirá que mulher feia não é uma questão de aparência e sim um estado de espírito.





Temporada: 10 de janeiro Até 2 de março
Endereço: Shopping Pátio Higienópolis – Av. Higienópolis, 618
Horários: Sexta às 21h30, Sábado às 20h e 22h e Domingo às 19h30
Telefone: (11) 3823-2737


Exposição: 'CAZUZA MOSTRA SUA CARA" Termina em Fevereiro/2014


CAZUZA MOSTRA SUA CARA no Museu da Língua Portuguesa termina em 23 de Fevereiro/2014





Um jovem rebelde, intenso, contestador e inteligente. Assim era Cazuza, que conquistou uma legião de fãs com sua ideologia e seu jeito destemido de compor músicas que retratavam a realidade do país na década de 1980. Após 23 anos de sua morte, o artista ainda é ícone da cena musical brasileira e é o homenageado na mostra do Museu da Língua Portuguesa.

A exposição Cazuza Mostra Sua Sara que acontece desde  22 de Outubro de 2013, no Museu da Língua Portuguesa em São Paulo, termina no próximo mês de Fevereiro. Montada no primeiro andar do Museu, a montagem retrata a carreira do artista que transformou poesias em canções.

Essa mostra reafirma a vocação do Museu em celebrar a língua portuguesa em todas as suas formas de uso, o que Cazuza fazia com maestria ao aproximar o público da literatura por meio de letras poéticas e bem estruturadas.

Dividida em salas, a exposição apresenta de maneira lúdica e interativa, e ficará em cartaz até 23 de fevereiro de 2014. O Museu também promove oficinas gratuitas focadas no processo de criação de letras de música.

Temporada:até 23 de fevereiro de 2014
Local: Museu da Língua Portuguesa
End.: Praça da Luz, s/n – São Paulo – SP
Horário: às terças, o museu fica aberto até 22h (a bilheteria fecha às 21h) | de quarta a domingo, das 10h às 18h (a bilheteria fecha às 17h) | fechado às segundas.
Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia entrada), com entrada gratuita aos sábados e às terças.
Informações (11) 3322-0080











visite nossa página no Facebook


QUANDO O ORIGAMI ENCONTRA A DANÇA E A FOTOGRAFIA

Melika Dez  e  Pauline Loctin , artistas de Montreal, se conheceram em janeiro de 2018 e decidiram combinar suas imaginações em uma colabor...