28/03/2014

Manuel Archain e sua série de fotos do cotidiano das pessoas de forma inusitada

Manuel Archain nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1983. Ele começou seus estudos quando tinha 5 anos, tendo aulas de escultura, desenho e pintura no estúdio de sua mãe, a artista Silvina Viaggio. 

Aos 13 anos ele iniciou seus estudos de desenho de fundo cômico , estudando com Carlos Pedrazzini. Ao mesmo tempo, ele começa seu trabalho como fotógrafo de uma forma prática, trabalhando com diferentes profissionais,e a partir de então ele evoluiu em sua arte alcançando um estilo pessoal. 

Seu trabalho pessoal está sendo mostrado em todo o mundo, Buenos Aires (Argentina), de Bogotá (Colômbia), Barcelona (Espanha), Madrid (Espanha), Paris (França), Miami (EUA), Lima (Peru), San Juan (Porto Rico), Santiago do Chile (Chile).

Nessa série de fotos, Manuel Archain coloca as pessoas em ações cotidianas, mas de uma forma original. Dessa forma, uma mulher dorme em um prato e uma panela vira piscina aquecida, entre outras situações. Veja as fotos abaixo:














Saiba mais sobre Manuel Archain em seu site



Niemeyer em 105 caricaturas chega ao Metrô de São Paulo




O Metrô Luz de São Paulo está recebendo  a exposição “Nosso Oscar Niemeyer".A mostra de 105 caricaturas do arquiteto Oscar Niemeyer permanece por lá até 31 de Março e depois segue para a Estação Santa Cecília do Metrô. São desenhos de artistas de todo o Brasil, em homenagem a cada ano de vida do grande arquiteto, que morreu em 5 dezembro de 2012, faltando dez dias para seu aniversário. A mostra foi organizada pela Fundação Memorial da América Latina, sob a curadoria do artista gráfico José Alberto Lovreto, o JAL, da Associação dos Cartunistas do Brasil.

A convite do Memorial da América Latina, cartunistas de todo o Brasil fizeram questão de homenagear Oscar Niemeyer logo após a sua morte. Seus desenhos de humor celebram a partida de um dos nomes brasileiros mais importantes do século XX. Segundo JAL, “Niemeyer sempre mostrou que tudo começa no traço. Traço simples, gestual e solto no espaço”. De fato, no documentário “A vida é um sopro”, Niemeyer resgata reminiscências da infância, quando desenhava mentalmente e não mais esquecia o traço virtual. “O ato de simples desenhar ganhou um “Oscar” e a realização do desenho em obra ganhou um Niemeyer”, resumiu JAL. A exposição “Nosso Oscar Niemeyer” ficou em cartaz no Memorial nos primeiros meses de 2013. Depois, excursionou por várias cidades do interior e  agora chega ao Metrô.

Dela fazem parte os seguintes artistas: Alan Souto Maior, Ale Santos, Alecrim, Alessandra Nogueira, Alpino, Amarildo Amorim, André Brown, Aroeira, Baptistão, Benjamim Cafalli, Bira Dantas, Biratan, Brum, Bruno Hamzagic, Claudio, Dálcio, Danilo Marques, De Pieri, Ed Carlos, Eder Santos, Edgar Vasques, Elihu, Evandro Rocha, Fabiano Carriero, Fernandes, Floreal, Fred, Fredson Silva, Gau Ferreira, Gepp, Glen Batoca, Gustavo Paiva, Erico, Hippert, Izidro, JAL, J.Bosco, Jean, Jorge Barreto, JorgeInácio, Josú Barroso, Junior Lopes, Kaltoé, Lézio Jr, Liliana Ostrovsky, Lovato, Luciano Félix, Luiz Pinto, Manga, Marco Souza, Marconi, Mariano, Maringoni, Mauricio de Sousa, Mikio, Mônica Fuchshuber, Nei Lima, Nelson Santos, Olávo Tenório, Orlando, Ozon, Paffaro, Paulo Cavalcante, Rafael Camargo, Ray Costa, Santiago, Seri, Stegun, tako X, Trilho, Ulisses, Veloso, Veronezi, Waldez , William Medeiros, Bruno Honda, Cristina Carnelos, Dimaz Restivo, Evandro Alves, Flávio Teixeira, Izânio, Moacir Torres, Natália Forcat, Paulo Jr., Quinho, Thiago Bertoni, Toni D’agostinho, Ferreth, Iéio, Julinho Sertão, Manohead, Tonho, Rico, Danilo Escarpa, Dilmar Jr. e Jota..


10 a 31 de março de 2014
Estação Luz

10 a 30 de abril
Estação Santa Cecilia.

ENTRADA FRANCA














População em situação de rua é tema de exposição no centro de São Paulo


Na entrada da Galeria Prestes Maia (pelo Anhangabaú), no centro de São Paulo, acontece a intervenção artística 'EU EXISTO' , com bonecos confeccionados por pessoas em situação de rua junto aos artistas plásticos Helder Oliveira e Wagner de Almeida. Os bonecos retratam as próprias pessoas em situação de rua.

O Objetivo é provocar a população a refletir sobre questões como acesso à cidadania, invisibilidade e preconceito.

 














QUANDO O ORIGAMI ENCONTRA A DANÇA E A FOTOGRAFIA

Melika Dez  e  Pauline Loctin , artistas de Montreal, se conheceram em janeiro de 2018 e decidiram combinar suas imaginações em uma colabor...